Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

7 habilidades que todo corretor de imóveis precisa desenvolver

7 habilidades que todo corretor de imóveis precisa desenvolver

Embora cada pessoa conte com habilidades diferentes e elas possam ser usadas de maneiras distintas para exercer uma profissão, cada área conta com habilidades mais importantes e, com o corretor de imóveis, isso não é diferente.

Se você deseja ser um profissional de sucesso, vendendo e alugando imóveis com mais facilidade, confira essas 7 habilidades que podem te ajudar a chegar lá!

1. Negociação

Ter a habilidade de negociar é fundamental para o corretor, visto que ele precisa conhecer as técnicas de persuasão para levar o cliente a comprar ou alugar o imóvel. Os três pilares de uma negociação são: conhecimento, tempo e poder.

No conhecimento é preciso saber profundamente sobre o imóvel e seu entorno, além de ter na ponta da língua as respostas para dúvidas sobre financiamento, pagamento, juros, data de entrega do imóvel, entre outras. 

Já o tempo se refere ao momento certo das oportunidades, entendendo a oferta e a demanda do mercado, além do contexto atual para poder saber como usar isso ao seu favor.

O poder está relacionado à influência, convicção e segurança para tomadas de decisões. Mostrar poder faz com que ambas as partes possam ter mais segurança ao negociar — só tome cuidado para não soar arrogante.

Todas as técnicas de persuasão devem ser baseadas na ética, afinal, mentir para o seu cliente pode até resultar em uma venda, mas, com certeza, pode trazer inúmeros problemas, além da perda da credibilidade. 

Além dos pilares, existem estratégias e técnicas que são muito valiosas de se conhecer e desenvolver. Busque por cursos e livros sobre o tema e perceba como elas podem impactar nas suas vendas.

2. Comunicação

Um vendedor que não se comunica não vende. Por outro lado, alguns vendedores muito comunicativos verbalmente não fecham vendas porque a comunicação vai muito além da fala. A postura, os argumentos e a maneira como você se comunica fazem toda a diferença.

A base da boa comunicação do corretor de imóveis é justamente escutar, extraindo do cliente as suas necessidades e mostrando como a opção de imóvel indicada pode auxiliá-lo.

O preço não é mais o suficiente, é preciso mostrar como aquele imóvel pode agregar benefícios à vida dele e, muitas vezes, de sua família. Para isso, é necessário ser um bom ouvinte, ser empático e se colocar no lugar dele, além de contar histórias com exemplos que enriqueçam a proposta.

A comunicação escrita também é importante, uma vez que o corretor terá de colocar no papel seus argumentos, estruturar suas ideias e facilitar a compreensão das propostas para clientes e parceiros.

Pesquise e desenvolva a sua comunicação verbal e não-verbal. Pergunte a amigos e colegas se eles têm algum feedback sobre sua postura, tom de voz e aceite-os como uma maneira de evoluir. Leia bastante e treine a escrita, pois ela também fará a diferença em sua carreira.

Resiliência

3. Resiliência

A profissão de corretor de imóveis tem altos e baixos. É preciso aprender a controlar as emoções, a encarar a pressão e as incertezas que são constantes nesse setor. Aprenda a se adaptar ao momento e seja positivo, pois os contratempos são passageiros e podem ser superados.

4. Relacionamento Interpessoal

É definido como relacionamento interpessoal a conexão entre duas ou mais pessoas dentro de um contexto. O ser humano já nasce com essa habilidade, no entanto, nem todos a desenvolvem. É o caso de pessoas muito tímidas, que ficam envergonhadas em trocar conhecimentos e emoções com outras.

O relacionamento interpessoal é muito importante para o corretor de imóveis, pois é ele que vai ajudar a criar parcerias com outros profissionais do mercado como corretores, arquitetos, engenheiros e outros.

Além disso, por meio dele você também estabelece vínculo com os clientes e as chances de receber indicações aumentam muito.

5. Autogerenciamento

Gerenciar a si mesmo pode ser um desafio tão ou até mais difícil que gerenciar uma equipe. É preciso conhecer a si mesmo, as fraquezas e habilidades, além de buscar conhecimento, pedir ajuda quando necessário e saber gerenciar o próprio tempo.

O corretor de imóveis é um profissional mais independente. Ele pode ter a ajuda de uma imobiliária ou construtora, mas trabalha no próprio tempo e gerencia suas próprias demandas. 

Ao mesmo tempo em que isso pode ser um benefício, também é um desafio, pois requer que você vença a procrastinação, gerencie as múltiplas tarefas e saiba quando descansar e ter seu tempo para o lazer.

Algumas ferramentas de gestão podem ajudar e muitas delas são gratuitas. O Google Agenda, por exemplo, é capaz de facilitar o processo de conciliar as tarefas pessoais e profissionais.

Até mesmo planners semanais e agendas ajudam. No entanto, a tecnologia tem como benefício poder disparar “lembretes” no e-mail e notificações no celular, assim fica mais difícil esquecer dos compromissos.

Proatividade

6. Proatividade

Muitas pessoas utilizam o termo “proatividade” sem saber muito bem o que ele significa. Um corretor proativo é aquele que assume responsabilidades, toma a iniciativa e se compromete a buscar os resultados. Ele não fica esperando ordens do que fazer, vai atrás do que é preciso e faz.

Essa habilidade é essencial, pois a corretagem é uma das profissões em que o potencial de ganhos costuma estar relacionado aos resultados, e o seu resultado é muito impactado pela falta de proatividade.

Como ela está diretamente relacionada a hábitos, é importante acostumar-se a realizar as tarefas por conta própria. Com o tempo, você perceberá que isso exigirá novos conhecimentos e terá de aprendê-los por meio de cursos, leituras e até em vídeos na Internet. 

Também será preciso criar cronogramas de atividades para facilitar a visualização do que precisa ser feito e traçar maneiras de chegar até esses objetivos de curto, médio e longo prazo. Ser proativo requer coragem e sabedoria para compreender que os erros podem acontecer, mas que eles servem de aprendizado.

7. Sede de conhecimento

Se você pensa que não precisa estudar muito para ser um bom corretor de imóveis, está enganado. Entender do mercado imobiliário e financeiro é muito importante, assim como saber realizar cálculos básicos para não fazer feio na frente do cliente. Além de estudar, é preciso se manter atualizado e acompanhar a evolução do mercado.

Um corretor de imóveis que não trabalha com as redes sociais, por exemplo, perde diversas oportunidades. Softwares e aplicativos diversos já existem para facilitar a vida do corretor, e saem na frente aqueles que os conhecem e sabem como usá-los.

A habilidade de gostar de estudar vem com a prática, quando você percebe que o seu conhecimento dá um bom retorno a longo prazo. Acompanhar jornais, revistas e sites do segmento imobiliário podem ajudar você a prever dificuldades e oportunidades, além de poderem até ser fontes de argumentos de vendas.

Que tal começar agora mesmo a sua jornada de aprendizado? Confira nosso artigo e saiba como começar a sua carreira de corretor de imóveis!

Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *