Entenda como realmente funciona o seguro fiança

Entenda como realmente funciona o seguro fiança

Alugar um apartamento, casa ou qualquer outro tipo de imóvel pode ser uma dor de cabeça para o inquilino que não possui fiador. Por isso, é importante entender como funciona o seguro fiança, alternativa que oferece uma garantia de contrato.

Além de dispensar o avalista, liberando-o de qualquer responsabilidade em caso de não pagamento, essa opção ainda cobre multas, encargos e até danos ao imóvel. Ou seja: é segurança para o proprietário e facilidade para o contratante.

Ficou curioso para saber como funciona o seguro fiança? Então, confira o post que preparamos para você!

Requisitos

Para contratar um seguro fiança é necessário que a renda familiar — que pode ser composta pela renda de até três pessoas que residirão no imóvel — some quatro vezes o valor mensal do aluguel. E lembre-se de que esse valor precisa ser comprovado!

Isso é uma vantagem, afinal, se algo ocorrer e os contratantes não puderem realizar o pagamento, o seguro se encarrega dessas despesas, sem a necessidade do proprietário aguardar resultados de demorados processos para receber.

Validade

A validade do seguro fiança é geralmente de um ano e deve ser renovada automaticamente. Porém, há casos em que ele vale durante todo o prazo do contrato e seu valor pelo mesmo número de meses que ele durar.

Garantias

A garantia básica faz a cobertura do pagamento do aluguel e multas — caso o inquilino atrase ou não efetue os pagamentos. Há coberturas adicionais e elas podem cobrir: luz, gás, água, IPTU, danos, pinturas (externa e interna) e outros. Quem decide quais coberturas contratar é o proprietário do imóvel, portanto, quanto mais exigir, menos chances terá de alugar o local.

Quem aluga pode e deve saber sobre todas as coberturas, a fim de negociar adequadamente. Por exemplo, um casal sem filhos dificilmente precisará contratar seguro para pintura interna ou, quando as contas ficarem no CPF do locatário, não há necessidade delas possuírem seguro.

Inadimplência

Em caso de atraso no pagamento do aluguel, a seguradora deve imediatamente ser comunicada para que consiga dar velocidade aos processos e, ao completar um mês de atraso, ela assume o pagamento dos valores para o locatário. A cobertura é realizada independentemente da motivação do atraso.

Caso o inquilino deseje continuar residindo no local, é necessário fazer acordo com a seguradora. Não havendo a concordância entre ambas as partes, uma ação de despejo é movida contra o contratante.

Riscos não cobertos

Existem algumas situações que o seguro fiança não cobre, são algumas delas:

  • locatário em situação pendente com a justiça;
  • locação para fins de negócios, como asilos, creches, estabelecimento de saúde e outros;
  • associações culturais, religiosas, recreativas ou aluguel de cômodos;
  • fenômenos da natureza, radiações, contaminações nucleares;
  • aluguel de vagas de estacionamento;
  • aluguel para locação de espaços publicitários.

A forma como funciona o seguro fiança é certamente uma maneira de oferecer garantias locatícias que podem solucionar o problema do inquilino que precisa fazer uma locação e não possui um fiador para firmar seu contrato. Talvez não seja a alternativa mais em conta, mas é certamente a que oferece menos riscos para ambos os lados.

Gostou das nossas dicas? Então, siga-nos nas redes sociais — estamos no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube!

Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *