Financiamento imobiliário: o que todo corretor precisa saber

Financiamento imobiliário: o que todo corretor precisa saber

Comprar um imóvel a vista é um privilégio para poucos. Para a maioria das pessoas que precisam adquirir um apartamento, casa ou outro, o financiamento é uma das maneiras disponíveis. Diversos bancos oferecem o parcelamento, mas é preciso ter cuidado para não oferecer uma solução que fique pesada para o seu cliente. Por isso, é importante compreender como funciona o financiamento imobiliário para corretores.

Ficou curioso sobre o assunto? Então não perca tempo e confira o nosso post de hoje!

Requisitos

Para comprar um imóvel diretamente com a construtora — esteja ele na planta ou em construção —, será necessário apresentar somente documento de identidade e CPF, não há necessidade de ter nome limpo em serviços de proteção ao crédito.

Entretanto, para ter um financiamento bancário aprovado para a compra, é necessário ser “ficha limpa” e também há a exigência da comprovação de renda compatível com o valor do crédito (as prestações não devem ser maiores do que 30% do valor dos rendimentos líquidos).

É preciso apresentar também certidão de nascimento ou de casamento, certidão de protestos, últimos impostos de renda, além de comprovante de residência.

FGTS

O Fundo de Garantia do Trabalhador Segurado, ou seja, o FGTS, pode ser utilizado para compor parte da entrada que o interessado dará no imóvel ou, dependendo do valor, unicamente.

A regra para essa utilização é que o beneficiário trabalhe no mínimo há três anos sob seu regime — podem ser somados períodos trabalhados, sendo consecutivos ou não, na mesma empresa ou em organizações diferentes — e não possuir nenhum financiamento ativo no SFH (Sistema Financeiro de Habitação) em nenhum local do país.

Entrada

O Banco Central normatizou que a cota de financiamento é de, no máximo, 90% do valor do imóvel (financiado em, no máximo, 360 meses para programas da Caixa), sendo que o interessado tem que possuir, no mínimo, 10% dessa quantia.

Para o Programa Minha Casa Minha Vida, o valor do subsídio pode chegar a R$ 25 mil por família, dependendo da renda e localização do imóvel e pode ser utilizado para compor a entrada.

Dívidas

Os sistemas de risco da Caixa e de outros bancos calculam sua disponibilidade financeira levando em consideração sua renda bruta e os comprometimentos em função de dívidas. Não há eliminação por causa delas, mas sim uma análise para avaliar se o interessado manterá o financiamento do imóvel com a sua condição financeira atual.

Financiamentos disponíveis

Para interessados de classes média baixa ou de baixa renda, os programas de financiamento da Caixa certamente oferecem mais facilidades e até subsídios — no caso do Minha Casa Minha Vida. Porém, para aquelas famílias que possuem renda maior, é mais interessante financiar diretamente com a construtora. E, para aqueles que não possuem pressa, o consórcio pode ser uma alternativa bem interessante.

Essas são algumas das dúvidas mais frequentes dos clientes na hora de comprar um imóvel. O financiamento imobiliário para corretores é um diferencial na hora de fechar negócio, pois quanto mais o profissional souber, mais segurança passará e, consequentemente, ajudará a facilitar as transações.

Gostou das nossas dicas? Então assine a nossa newsletter para receber conteúdos atualizados sobre o setor imobiliário!

Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Um comentário para “Financiamento imobiliário: o que todo corretor precisa saber”

  1. Eduardo disse:

    Li o artigo. E bom para ter mais informacoes e poder melhorar os atendimentos e obter vendas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *